Gosta de bolachas? Nós fazemos as nossas de acordo com esta política de cookies. Pode especificar as condições para armazenamento e acesso de cookies no seu browser.

0

Sobre nós

Portugal, Julho de 2012

Ela fez a coisas mais maluca da sua vida – e a mais assustadora.

O ar quente tocou-lhe a cara quando ela puxava a sua mala vermelha, grande, na plataforma da estação do metro no aeroporto do Porto. Foi nesse momento que se apercebeu quão irreversível era aquilo que tinha feito. Longe, no frio Norte, ela tinha deixado tudo: a sua Pátria, o trabalho com que sempre tinha sonhado, o seu adorado lar e aquilo que lhe era mais querido – a Família e os Amigos. No entanto, desde o primeiro momento cá, ela soube que amava este lugar – o sol no céu durante a maior parte do ano, o mar por perto, o aroma das larajeiras, a gente sincera e calorosa e, claro, Ele.

Estava na plataforma, ouvindo as conversas abafadas e histórias contadas a correr… Era como se as pessoas quisessem concentrar em cinco minutos, meses de separação. Ela sentiu uma energia incrível, que apenas encontra aqui – nas pessoas do sul da Europa. A composição do metro chegou. Ela virou a face para o sol e deu o primeiro passo no desconhecido.

No dia seguinte começou a contruir o seu mundo de novo, desde o princípio. As saudades faziam-na procurar constantemente por um pouco do seu país – um pequeno substituto do acolhedor lar que tinha deixado. Um dia comprou, na internet, umas bolas de luzes, coloridas e brilhantes. Era uma manhã soalheira quando recebeu e abriu a encomenda. Imeadiatamente compôs a sua primeira grinalda – era uma como uma escultura belíssima, mas o verdadeiro prazer veio ao anoitecer, quando acendeu a grinalda…
"Uau! Elas são lindas!" – pensou.

Foi nesse anoitecer mágico, quando estava sentada, embrulhada num cobertor, com uma chávena de chá quente na mão, olhando para a luminosa grinalda, que nasceu nela o sonho de uma loja com bolas coloridas, brilhantes, que prencherão de luz e alegria milhares de lares. E afinal, os sonhos existem para se ir ao seu encontro!

E foi assim que a Luminart foi criada – das saudades de casa, do amor pela luz e pelas cores.